sábado, março 12, 2005

O cúmulo

Esperava que o FC Porto não vencesse. Se dissesse outra coisa mentiria. Por 4-0, isso, claro, nunca previ. Mas foi bem feita!! Primeiro porque Jorge Costa - um jogador que muito admiro, não façamos confusão - revelou mais uma vez toda a sua falta de carácter ao ignorar o apelo de um colega de profissão estendido no relvado. Já não bastou o que aconteceu? Para Jorge Costa não. Uma vez carniceiro, sempre carniceiro.

Depois, ainda com o resultado em 0-1, ver Costinha lesionado, Couceiro a mandar aquecer Leo Lima, leva o segundo golo e mesmo assim não percebe que alguém tinha que correr, desarmar, enfim fazer o trabalho sujo? Pois é, jogar sem trinco mas com QUATRO números 10 - Diego, Ibson, Leo Lima e Bomfim - só podia dar naquilo que deu.

Couceiro, ou o o-homem-que-quer-ser-Mourinho-mas-que-sabe-que-o-Sindicato-está-à-sua-espera-mais-cedo-do-que-o-previsto provou que a ler o jogo é ZERO. Até o João Carlos Pereira com tiques de marioneta soube dar um banho e entrar na história porque o FC Porto não sofria uma goleada tão pesada há 30 anos, obra do Belenenses e de Alfredo.

E o melhor de tudo é que o neto de Peyroteo ainda está a tempo de celebrar nos Aliados. Lindo!

Avalie-me!