sexta-feira, maio 06, 2005

Reportagem de Timor

(Recebido de um amigo "portuga" e sportinguista que trabalha em Timor; mais um hino ao equilíbrio da opinião e ao desportivismo; deliciem-se!)

«Camarada:

Fui acordado às vossas 22h34 (6h34 locais) pelo presidente do Sporting Clube de Timor, ex-cônsul de Portugal em Díli, a dizer qualquer coisa do género: "Desculpe não o ter acordado mais cedo, mas afinal o jogo não deu no canal indonésio, por isso fiquei a ouvir o relato da Rádio e não o quis acordar."; "Ah, 'tá bem. E então?"; "Olhe, estamos na final, marcámos um golo agora mesmo, no último minuto dos descontos."; "A sério, mas que bom! E quem marcou o golo?"; "Foi de canto, não sei quem marcou."; "Mas ganhámos?"; "Não, perdemos, 3-2, e marcamos no último minuto."
Confesso, agora, que, por alguns momentos, mesmo depois de ter acabado esta conversa, achei que tinha sonhado. É que me tinham dito que o jogo seria às nossas 3h30. E eu acordei, por mim, às 5h30 e estranhei não ter recebido nenhum telefonema deste meu interlocutor, de seu nome Jaime, nem mensagens do meu irmão, do Ralha ou da minha mulher. Pensei: "Não disseram nada... O Sporting foi eliminado. Chatice!"
Tendo estranhado tanto mutismo, mandei uma mensagem escrita para o telemóvel do Ralha: "SCP perdeu, foi?". E o rapaz não disse nada nos cinco minutos subsquentes. Resultado: pensei que ninguém queria comunicar ao outro lado do mundo que o SCP fora à vida. E adormeci de novo.
Só voltei a acordar quando o Jaime me telefonou, eufórico: "Tenho estado para aqui a andar de um lado para o outro na sala. Não caibo em mim." Feliz, levantei-me. Pouco depois, chegavam as mensagens do meu irmão, da Natacha (vê lá tu que até escreveu a prometer o impossível: "Se estivesses cá levava-te a Alvalade no dia 18!", e o telefonema inevitável do Ralha, que, cheio de orgulho, me descreveu com rigor a jogada do golo da vitória concluída pelo improvável Miguel Garcia (depois do Pinilla, este miúdo é a prova de que a reincarnação é um facto futebolístico!). Banho tomado, ala para o Hotel Timor. A parabólica da nossa casa avariou e eu sabia que a RTPi ia dar o jogo em diferido a partir das 6h15. Cheguei ao Hotel e instalei-me no bar. Quando comecei a ver o jogo (isto é de tarado ir ver um jogo que já se sabe o resultado!) estava 1-1 e haviam decorrido 70 minutos. Eram pouco mais do que 7h15. Aos poucos apareceram hóspedes que se foram sentando no bar. Alguns meus conhecidos, outros nem por isso. Alguns sportinguistas, outros também não, Todos portugueses. Quem mais sofria era um tipo que quando o AZ marcou a 12 minutos do fim do prolongamento, depois de ter bufado, gesticulado e levantando-se umas três vezes, disse: "Ó, vou-me embora! Que miséria". Era evidente desde os primeiros segundos em que o tipo se sentou perto de mim que ele não sabia qual tinha sido o resultado. Tive, pois, de intervir: "Não se vá embora. Fique até ao fim, até ao fim mesmo!" Nessa altura, ele percebeu, finalmente, que o jogo não estava a ser transmitido em directo. "Mas?..."; "Olhe que o Sporting vai à final, tem é de esperar até ao fim." Aí, veio ao de cima o espírito de emigrante (continuo sem saber quem é aquele tipo, nunca o tinha visto mais magro ou mais gordo, é um tipo, discreto, como há muitos aqui, que até é capaz de ser das Nações Unidas, o fim do cartão ao pescoço colocado no bolso da camisa não falha): "Sabe, eu sou do Benfica!" Não parecia, mesmo. É assim esta coisa da alma lusitana. Estar-se longe e estar-se perto. Acordar às 3h e 4h para ver futebol. Loucos.
Acabado o jogo, lá vim para o escritório, para o Palácio do Governo. Ali ao lado, as santinhas que encabeçam a manifestação - hoje, dia 6, atingimos o 18º dia de protestos e eu já sei de cor o terço em tétum, ita boot, horas née - mostravam-se indiferentes ao resultado do jogo nocturno. Os seguranças timorenses do Palácio que já sabem que sou do Sporting deram-me os parabéns, também eles orgulhosos pelo feito sportinguista.
Pouco depois de me ter sentado ao computador, telefonou o Eduardo, amigo português de Díli: "Uma curva belíssima, uma equipa fantástica, és a nossa fé..." As informações sobre a resposta dos bispos à proposta do Xanana e do Alkatiri hoje são, de facto, secundárias. Entre enormes sorrisos e piadas futebolísticas, o Eduardo logo anunciou que vai tratar de sugerir ao embaixador que se repita o procedimento do Euro 2004: ecrã gigante no jardim da residência do embaixador para a comunidade portuguesa ver o jogo no dia 18. "Com polícias a controlar o trânsito e tudo!"... Pelos cabelos que estou pelos cântigos e rezas dos alegados manifestantes resta-me pois concluir importante a mensagem da Igreja Católica: Assim seja!»

8 Comentários:

Anonymous Anónimo diz...

gostei desta reportagem, pelos vistos, contada por um adepto do scp que está em timor

3:10 da tarde  
Anonymous André, o campos diz...

O FUTEBOL COMO FACTOR UNIFICADOR DO PORTUGUÊS:

3 comentários:
A) Duas religiões diferentes fazendo lóbi lado a lado no mesmo território, na mesma rua: o futebol e o cristianismo.

B) O futebol, como elemento passional do humano, é de longe o campo onde todo o elemento passional mais se evidencia: é o que mais alenta o nacionalismo, o patriotismo, é o que mais unifica e separa ao mesmo tempo.

C) Confirma-se uma coisa, comparada com o que sucedeu nas 2 épocas anteriores: o Sporting é muito mais representativo de Portugal do que o FCPorto, por muito que custe a gentes do norte. Imagino o que seria se fosse o Benfica...

3:18 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

até em timor há sportinguistas. que orgulho!!!!
Viva o Sporting!!!
Viva Timor!!
Viva Portugal!

3:50 da tarde  
Anonymous cg diz...

Oh pah, kerem me fazer crer que nao existe um adepto do porto, sporting ou bxxx em qualquer parte do mundo!!!??

4:31 da tarde  
Anonymous daniel diz...

é bonito, cg: escreves porto e sporting... a referência ao SLB é apenas bxxxx. elucidativo... triste, mas elucidativo!

5:54 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

Ainda não ganharamo nada e já andam histéricos.

Pooooooooooorto ALLLLLLLEZZZZZ!!

10:50 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

O CG não o fez por mal. Aquilo é um amuleto. Se ele pronunciar ou escrever o nome do Sport Lisboa, quebra-se a veia ganhadora do Sporting. ;)

12:01 da manhã  
Anonymous Anónimo diz...

Faleceu o grande Jorge Perestrelo.

Faleceu com ele um colorido muito especial do nosso futebol.

Estou muito triste.

Fosgasse. O que é que é isso oh meu? Logo agora? Quem vai agora relatar o SLB-SCP?.

2:03 da manhã  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!