quinta-feira, agosto 11, 2005

Confusões entre o 8 e o 10

Nas já habituais novelas do futebol português, em especial nos complicados enredos relacionados com o Benfica (que se tornou numa autêntica Rede Globo de produção de novelas), tenho acompanhado com profundo interesse o caso do chamado "Nº 10" que é tão desejado para as bandas da Luz.

"O Benfica precisa de um número 10 para jogar nas costas do ponta-de-lança"; "Não há ninguém que arme o jogo do Benfica", são algumas das frases que se ouvem pelas rádios e televisões e se lêem nos jornais, de forma constante, transformados quase em lugares comuns. Mas aqui é que reside, a meu ver, o erro de análise. O que o Benfica precisa não é de um "número 10 para jogar nas costas do ponta-de-lança", o que o Benfica necessita é de um Nº 9, um autêntico ponta-de-lança, que não existe no plantel, e de um Nº 10 armador de jogo... não que jogue nas costas do avançado, mas que actue no meio-campo, organize o jogo, levante a cabeça e distribua. Em Portugal (e não só), talvez devido à moda que está a pegar de as equipas jogarem todas em 4-3-3 ou 4-5-1, parte-se sempre do princípio que o Nº 10 é aquele médio mais ofensivo que é, ao mesmo tempo, um segundo ponta-de-lança. Mas as diferenças são evidentes.

Os tradicionais segundos pontas-de-lança são os que jogam, esses sim, atrás do futebolista mais avançado, recuando pouco no terreno e com a incumbência de marcar golos, cair nas faixas, combinar com o Nº 9. Esses são os tradicionais Nº8, como é, por exemplo, João Vieira Pinto, Sá Pinto, Saviola, Ronaldinho Gaúcho, Wayne Rooney, Thiery Henry, Derlei, Del Piero, Totti... e muitos outros. Um Nº10 é um médio ofensivo que recua bastante para armar jogo, levar a bola, distribuir, comandar, ocupar espaços, enfim, o "maestro" como o é Rui Costa, Kaká, Deco, Verón, Zidane. São dois tipos de jogadores estruturalmente e objectivamente diversos. O que o Benfica precisa? Na minha opinião, de um Nº10 e de um Nº9, NUNCA de um Nº8. E já agora, de um médio direito. Mas isso já sou eu a divagar!

8 Comentários:

Blogger Pedro diz...

Correctíssimo. Finalmente....xiça!!
E o mais incrivel é q o SLB teve ao seu alcance um pequeno génio q fazia na perfeição essa posição e esse papel , o verdadero papel, de um numero 10 : ROGER.

É q para falsos pontas de lança temos lá dois excelentes: Nuno Gomes e Mantorras.

6:43 da tarde  
Blogger Mialgia de Esforço diz...

Ó Pedro: O Roger teve mais do que oportunidades para mostrar o que valia e... mostrou muito pouco. Quanto ao que falta no plantel do Benfica, insisto: um lateral direito de qualidade.

7:22 da tarde  
Blogger Mialgia de Esforço diz...

Isto, para além do que é dito no "post", convém esclarecer.

7:23 da tarde  
Blogger Pedro diz...

O Roger mostrou pouco?!?!?!
Cada vez q ele entrava a dinamica atacante do SLB transfigurava-se para melhor, o Roger vinha ao meio campo buscar a bola e levava-a para a frente, fazia a tal transposição mei campo/ataque q se exige a um 10 coisa q o Zahovic nunca fez, o Roger rematava muito e bem e marcou alguns golos sensacionais....tomara eu q ele tivesse tido mais oportunidades q , se calhar, o jejum teria sido quebrado mais cedo.

Não fui apologista da contratação do Roger pelos motivos e forma mas q ele era um jogador de eleição lá isso era (é).

7:37 da tarde  
Anonymous Goleador!!! diz...

O certo é que mal o Roger foi embora fomos campeões!
O Roger era um jogador problemático e que não foi comprado da melhor maneira (vitor santos), às vezes os jogadores vão embora não pelo que fazem em campo mas pelo que fazem no balneário!
Lembro de um amigo meu que jogou no Benfica um dia me ter dito que enquanto o João Pinto estivesse no SLB nunca seria campeão e não é que teve razão!
Pensem nisso.

7:58 da tarde  
Blogger Pedro diz...

Ok...isso é outra discussão. Os problemas de balneário com o Roger foram mais criados pelo Vitor Santos do q pelo próprio Roger...mas isso são outras conversas.
Essa argumentação é correcta.

2:03 da tarde  
Anonymous André, o campos diz...

CORRECÇÕES NECESSÁRIAS:

1) Ronaldinho Gaúcho e Totti deviam estar na lista dos n.ºs 10, como Deco, Kaká e Rui Costa. A diferença reside entre serem médios atacantes ou avançados recuados. Ronaldinho e Totti são médios atacantes, mas que defendem mal, o que leva porventura à confusão.

2) Véron, a bem ver, é o segundo jogador mais completo daqueles que foram referidos no post original: joga como médio defensivo e faz uma perninha como médio atacante (o que não quer dizer que seja o melhor jogador). O mais completo dos jogadores referidos é, de longe... Deco (por muito que espante!). Deco é o jogador mais valioso para qualquer plantel: um n.º 10, médio atacante, organizador excelente, que joga com os dois pés, e que defende bem!

3) Quanto a ROGER, entende-se a confusão que alguns adeptos do SLBenfica fazem quanto ao seu real valor. TODOS os treinadores que o treinaram admiraram a sua qualidade futebolística (até Camacho). Mas não era por problemas no balneário que ele não jogava. Ele não jogava simplesmente porque era um médio atacante sem quaisquer qualidades defensivas; não defendia, pura e simplesmente, o que é desculpável num avançado recuado, mas não num médio atacante. Porque é que jogava Zahovic e não Roger? Porque Zahovic, sendo pior que Roger, tinha sentido posicional quando a equipa não tinha a bola. E, para se ser mais que treinador de bancada, é preciso ver bem mais do que somente a baliza adversária...

4) Subscrevo tudo o resto que é dito no post.

2:56 da tarde  
Anonymous Goleador!!! diz...

André o campos,

Concordo contigo em relação ao Roger, não querer ou não saber defender mas te garanto que tb era um jogador problemático no balneário e que lá teve vários problemas.

3:14 da tarde  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!