quinta-feira, setembro 01, 2005

Quarta-feira louca


Bom,

Fui "contratado" por este blog para animar o espaço com brincadeiras mil. No entanto, como parece que foi tudo de férias, sinto-me na obrigação de ajudar o meu colega resistente (aquele que esfaqueou o César) a cumprir os mínimos exigíveis, afinal ontem fechou o mercado e chega-se aqui e... nada.

Cá vai uma análise rápida, a minha visão sobre o corrupio do mercado:



Porto - Tinha pouco a mudar. Veio um jogador cheio de potencial, mas também mais um estrangeiro a integrar. Veremos se tem futebol imediato para roubar o posto ao homem adaptado que anda a sacar exibições surpreendentes à custa de um dos viagras visuais de Portugal*. Falhou talvez a opção Dédé, naquele que seria mais um episódio não só da guerra Pinto da Costa vs. Veiga como também mais um momento do habitual apetite do presidente azul e branco pelos alvos da Luz.



Benfica – Karagounis e Miccoli são dois bons jogadores. Se são ou não boas contratações o tempo o dirá pois como qualquer benfiquista sabe, de “cracalhões” falhados está a história recente do Benfica cheia. Karagounis não é o tal “10” mas é um jogador que entra de caras no onze, também, quando apenas se tem de roubar o lugar a um Nuno Assis a coisa fica facilitada. É um jogador ao mesmo tempo criativo e raçudo, os benfiquistas ainda se devem lembrar como "comeu" a defesa do seu clube em Milão, aqui há tempos. Quanto ao Miccoli tenho mais dúvidas: não tanto sobre a sua qualidade mas sobre a facilidade de "encaixe". Quem vai sair? Não faço ideia. Pretenderá o Benfica retirar Nulo, perdão Nuno Gomes e colocar Micolli na frente? Está bem que o Maradona era "canino" mas tinha o Careca à mão para complementar. Diz-se por aí que Miccoli é avançado para descair pela esquerda. Uma solução preparada para uma saída de Simão (mais à frente, mais à frente), com mudança para um 433 definitivo e assumido? Talvez.

Quanto ao caso Simão... inicialmente fiquei surpreendido com a possibilidade de saída. Depois do fecho do mercado desatei a pensar (é raro) e concluí: "o Benfica asneirou pesado". Das duas uma: ou recusava desde logo a proposta, de preferência sem a deixar chegar aos ouvidos do jogador (pelo menos com a seriedade com que chegou) ou então vendia sem pestanejar. Este caso tem tudo para transformar Simão num novo João Pinto, o cenário "menino de oiro" está lá todo: jogador influente, contrariado**, ia ganhar o dobro, direcção amedronta-se perante adeptos propícios ao endeusamento individual e pouco destinados a pensar no bem do clube***. Não haja dúvidas: mesmo o mais benfiquista reconhecerá, caso perceba de futebol, que até a oferta de 12 milhões + Cissé (por um ano) era um negócio “da china”, quanto mais as que se seguiram. Estou em crer que a direcção do Benfica apenas não vendeu devido uma mistura de receio dos adeptos e consequente redução do espaço de manobra futura e impossibilidade de substituição do jogador em tempo útil. Tivesse o negócio surgido mais cedo e talvez a direcção do Benfica tivesse ido em frente, mesmo tendo de responder perante adeptos emotivos como os do Benfica.



Sporting - Ao contrário do que seria de esperar (sobretudo fora do clube) não há manifestação em Alvalade devido à saída de Rochemback. O adepto entendido de futebol sabe que Rochemback é jogador de classe, que tem lugar em quase tudo o que é equipa mas... sabe também que o rapaz era, no último ano, uma sombra (mais larga e lenta) do jogador que foi nos primeiros meses de Sporting. Lento, complicativo, propício a momentos de vedetismo, mesmo que “polvilhando” aqui e ali momentos de classe. Atente-se nas notas que recebia dos “pasquins desportivos” no primeiro ano e as que recebia nos últimos tempos. Sendo assim a venda de Roca acaba por ser o tal negócio "da china" do fecho de mercado, perante o falhanço do verdadeiro candidato, acima referido. Receber bom dinheiro por um jogador que não é do clube e que apresentava uma tendência exibicional inversa à evolução do seu peso e ainda conseguir ir buscar João Alves é bem jogado. O Sporting pode ter perdido resistência de choque e, aqui e ali, um tiro de fora da área (cada vez mais raro) mas ganhará em velocidade, dinamismo e até profissionalismo. Quanto a Wender é uma incógnita, veremos se singra, poderá ser um caso de sucesso imprevisto (como Douala) ou mais um jogador de 30 anos que saca uma transferência para um grande à custa de uma época de bom nível, para depois não confirmar o valor creditado. Teoricamente é mais uma solução de “fantasia” para as alas, sabendo nós que o Sporting só contava com Douala para essas funções.



Conclusão: Apesar do corrupio não mudei de opinião: o Porto mantém estatuto de crónico candidato a um título que poderá ser mais fácil do que se imagina. Quanto à discussão do "vencedor do fecho" a luta é renhida entre os dois grandes, uns tenderão para valorizar os nomes e experiência internacional, outros destacarão factores como a adaptação e rápida rentabilização dos reforços num campeonato já em pleno andamento. Na minha opinião apenas uma questão invalidou que o Sporting fosse o grande vencedor do dia: a recusa da venda de Rogério para o Santos e a contratação de Amaral ao Belenenses. Tivesse sido assim e o resultado final desta quarta-feira louca seria para mim mais claro.

* - Para o "seminarista" que precisa vir verificar o que pretendia dizer, falo de uma moça chamada Isabel Figueira.
** - As declarações de Simão após o falhanço do negócio não demonstram um jogador plenamente satisfeito com o desfecho e sobretudo com o “papel” que foi obrigado a representar.
***- Antes de refutar atente o leitor na história dos últimos 10 anos do clube e a influência directa que os sócios tiveram na mesma. Obrigado.

11 Comentários:

Anonymous Anónimo diz...

Parece que já estou a vê-los:
-Simão ficas este ano,vais ao mundial e depois vais para onde quiseres! Palavra de presidente!
-OK presidente, mas não se esqueça, pró ano...
-Palavra de presidente!
Agosto de 2006 "Novo caso Miguel" Advogado de Simão, João Vale e Azevedo.

3:25 da manhã  
Anonymous Anónimo diz...

Foi o benfica que sugeriu a estoria dos 12 milhoes + Cisse. O Cisse seguiu as pisadas dos restantes bons jogadores e perguntou: "Eu? Benfica?? Porque???"

5:18 da manhã  
Anonymous Anónimo diz...

na minha opinião o miccoli n vai tirar o lugar nem ao simão nem ao ngomes, mas sim ao geovanni q, como é sabido, só joga bem em 1/3 dos jogos em q participa.

Já agora, prefiro o simão ao cissé, pois este ultimo n poderia jogar na champions, e prefiro ter no 11 titular o ngomes a ter o karyaka/hélio roque

11:55 da manhã  
Blogger Miego Daradona diz...

Como complemento à coluna deixo a análise do excepcional Luís Freitas Lobo (http://www.planetadofutebol.com) sobre miccoli, que vem complicar ainda mais as contas e confirmar o que eu pensava, a impressão que tinha do itália - portugal onde vi miccoli: este jogador é um médio ofensivo, podendo descair para a esquerda, não um avançado. Sendo assim parece-me ainda mais certo que era mais um substituto para simão do que o tal ponta-de-lança. Mais uma razão para tornar infeliz a decisão de não vender Simão. Que negócio teria sido, na minha opinião.

Definição de Miccoli:

"Zigzags, dribles e golos. Um talento rebelde do futebol italiano, médio ofensivo sempre em movimento. Começou por actuar na zona central, mas com Cosmi, no Perugia passou para a esquerda. Na Juventus, foi mezzapunta, o segundo avançado italiano, rótulo como que chegou à selecção pela mão de Trapattoni. Na Fiorentina, fixou-se como um médio ofensivo que, oportuno e com grande poder de remate, entra nas costas do ponta de lança, aproveitando os espaços vazios."

12:10 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

diz-se à boca pequena que para os lados da luz há um jogador recentemente contratado que gosta de assediar jogadores no balneário

imaginem quem

1:39 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

"boca pequena"?

essa expressão diz tudo :).

Bom são os dois anões, ao nível da cintura... depois gregos é sinónimo de paneleiragem desde os primórdios da história e os italianos por vezes não andam lá longe, andavam todos de saia e sandália no tempo dos imperadores.

Vá o diabo e escolha, pra mim são os dois paneleiros (a escolher um digo que é o grego).

3:37 da tarde  
Blogger cparis diz...

micolli vai tirar o lugar a geovanni.... simão passa para a direita (seu lugar de origem) e micolli na esquerda....

quanto ao vencedor do defeso foi claramente o Braga: wender, 30 anos por 700 mil, e 50% de um médio em fromação por 2,5 ME.... muita fruta...

7:45 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

Estou a ver que o anonimo do ultimo comentario tambem gosta de paneleiragem... já escolhe um e tudo.

8:09 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

o joão alves médio em formação?! Mas a formação para esse anónimo é até quando, até aos 30? :)

9:59 da tarde  
Anonymous Mata&Esfola diz...

CParis,

Ainda me has de dizer desde quando é que o Simão é extremo direito de origem.

Só mesmo um lampiao para ter um jogador no seu clube ha 4 anos e pensar que o mesmo esta a jogar adaptado esse tempo todo...

Patético,,,,

12:18 da manhã  
Anonymous Anónimo diz...

ya. Mata.

O Suinão FDP Simulão desde os tempos de juvenil no clube que o alimentou, evitando que ele neste momento tivesse a pastar cabras, (diga-se profissão digna e não de PUTA VENDIDA),sp foi extremo esquerdo.

Jogou uma época a descair para a direita devido a ter o lugar tapado, já nem me lembro por quem.

Concluindo, Instruam-se,galináceos

3:10 da manhã  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!