terça-feira, março 21, 2006

Os Reis da Matemática

Portugal é de facto um país de ignorantes.
Este facto ficou mais uma vez exposto nas análises e considerandos sobre o resultado da AG do Sporting que temos tido a infelicidade de ler. Eu explico: que Soares Franco e seus acólitos incompetentes queiram fazer passar a ideia de que uma "imensa maioria" estava com o seu projecto eu compreendo, não só porque lhes interessa preparar a pirueta como também porque se há coisa que provaram durante 10 anos é a total incapacidade paras o 2+2 e outros princípios básicos da matemática, que ouvi dizer ser peça importante do leque de conhecimentos de um gestor. O problema reside noutro lado... nos meus amigos da imprensa. Mais uma vez assisto boquiaberto à transversal incompetência dos reis da pena nacional perante estes assuntos. Ele foi na TSF, ele foi em jornais de referência... por todo o lado tive de ouvir as provas da ignorância (ou má fé, eu prefiro acreditar na primeira aliás porque os indícios não são de agora) acerca da contabilidade dos resultados, com a célebre frase a cair vezes sem conta: "uma maioria de sócios estava com Soares Franco".

Ora o que Soares Franco teve foi a maioria dos VOTOS. Nos Sporting, assim como noutros clubes de futebol, existem escalões de voto consoante os anos de filiação logo a lógica "um homem um voto" não se aplica (a meu ver vergonhosamente, a distinção entre sócios antigos e mais recentes deve passar pelas vantagens que cada um tem e não na distinção da sua capacidade de pensar o clube e votar em consciência). Mas a incompetência não fica por aqui. Assim como nenhum jornalista se lembrou de fazer o seu trabalho e perguntar a Soares Franco qual a nova cláusula de rescisão de Liedson quando a renovação foi anunciada (que se calhar pode revelar algo curioso, embora eu não a conheça) também nenhum "repórter" se lembrou de pedir os números de VOTANTES contra e a favor. A este desleixo juntam a ignorância já referida, ao referirem vezes sem conta que "uma maioria de sócios esteve com SF". A estupidez e a burrice deviam pagar taxa, com receita directa para o orçamento do ministério da educação.

Quem esteve na AG sabe que nem de perto nem de longe se assistiu a uma larga maioria de sócios em apoio ao projecto. Tive o cuidado de acompanhar a votação após exprimir a minha opção e o que vi foi uma larga maioria de sócios mais velhos a votarem "Sim" e uma larga maioria de sócios abaixo dos 50,60 anos a votarem "Não". Existiu equilíbrio embora dado o peso dos votos dos mais sócios mais antigos eu tenha tido a convicção imediata que o projecto passaria.

Um pormenor curioso e que demonstra de forma tão simples a transparência de quem com lentidão e amargura vai abandonando o poder em Alvalade: o processo de voto. Para votar cada sócio devia colocar uma cruz na sua opção e dirigir-se à zona de voto onde... cada ponto de voto tinha duas urnas, uma a favor e outra contra, logo para começar. Votei e depois coloquei-me de lado acompanhando as urnas de voto destinadas a quem tinha mais de 16 votos e veriquei esta delícia: quando os mais velhos sócios se apresentavam lançados à urna do "Sim" ninguém os apoquentava... quando por acaso pareciam destinados a colocar o cartão no "Não" o responsável da mesa, competente e preocupado, alertava-os para a curiosidade da existência de duas urnas, não fossem ele estar "enganados". Delicioso este projecto Roquette / Cunha / Franco :).

2 Comentários:

Blogger Alex diz...

A comunicação social está toda do lado de Soares Franco, porque interessa a muita gente fora do clube que o sujeito continue a ser o presidente do Sporting. Desde logo aos rivais do Sporting. Não é por acaso que a "A Bola" e o "O Jogo", jornais não oficiais do Benfica e do Porto, respectivamente, fizeram campanha pelo cooptado. Veja-se aquele "artigo" do Vitor Serpa na "Bola" de Domingo. Se aquilo não dá vómito a qualquer um, eu não sei o que dá. Ou o João Sanches no "Jogo", outro gajo comprado. Uma vergonha.

Em relação ao n.º real de votantes em cada lado, uma vez que até havia três urnas (!!!), seria fácil saber quantos sócios votaram no Sim e quantos votaram no Não. Só que isso não interessa à direcção, porque estourava-lhes a propaganda. Já andam a querer criar uma "vaga de fundo" em torno do cooptado, por causa dos 64%. Não tenho dúvida que ele se candidata porque os "doutores" bem vistos, o Ribeiro Telles e o Bettencourt, não sujam as mãos. Logo, tem que ser o fraco de serviço, neste caso, o Pipinho Soares Franco. O homem não presta para nada, mas os gajos que o rodeiam são uma mafia que faz favor... Por isso, não sei o que é pior, se o FSF se a sua "entourage".

7:09 da tarde  
Blogger Brutus diz...

Bom artigo!

5:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!