quinta-feira, junho 29, 2006

Falar certo e falar mentira

Não posso deixar de mencionar aqui os erros graves que se vão cometendo no jornalismo português, em especial no desportivo. Erros de base. Ontem, a generalidade dos órgãos de comunicação social fez notícia de uma "outra notícia" publicada no site do jornal britânico, The Sun. Segundo o tablóide, Pauleta deu uma entrevista sobre as forças e fraquezas da equipa inglesa, adversária de Portugal no sábado, entre outros considerandos. Pois bem, em Lisboa, a imprensa com edições on-line repercutiu as declarações do avançado, afirmando taxativamente que ELE, Pauleta, tinha sido entrevistado. Nada de um «alegadamente», «segundo o jornal inglês», «o avançado terá dito», ou outra qualquer forma de informar o leitor que não houve confirmação sobre a veracidade das declarações. Um telefonema ao assessor de imprensa da selecção podia eventualmente ter resolvido a questão. Acontece que algumas horas depois, Pauleta, furibundo, NEGOU COMPLETAMENTE ter falado aos jornais ingleses. A imprensa portuguesa, que já tinha errado no primeiro momento ao atropelar a regra principal da profissão, fez notícia depois com as REAIS palavras do jogador, mas nos seus sites, as palavras FALSAS atribuídas a Pauleta permanecem ainda acessíveis, como que se nada se tivesse passado. Dois erros num.
Também ontem, Mourinho evitou uma situação semelhante. Só porque foi mais rápido que os "jornaleiros" e emitiu um comunicado a desmentir taxativamente uma "entrevista" exclusiva à Sky News... que pouco depois seria (com certeza) publicada em Portugal desta forma:"O técnico José Mourinho afirmou hoje que...."

7 Comentários:

Blogger boloposte diz...

Como queres que as pessoas acreditem no que acabas de dizer se acabas de lhes dizer que os jornalistas não são uma fonte credível?

9:14 da manhã  
Blogger riddle diz...

Não é nada disso que eu acabo de dizer boloposte. Apenas saliento que os (alguns) jornalistas (às vezes) não cumprem o seu pepel, que é o de verificar as fontes e praticar o princípio do contraditório. Lá porque o the sun diz que entrevistou o pauleta, não deve escrever-se "Pauleta disse que..." pois isso é enganar o leitor. Como é que o jornalista que pegou na peça do the sun sabe, efectivamente, que o jogador deu a entrevista? Esteve lá? ouviu uma gravação? Se não, deve, tal como explico no post, escrever que o jogador "alegadamente prestou declarações" a um certo media.
E depois, vem o outro erro, que é, depois de apurada a verdade, não retirar do online as notícias que são mentira. O jornalismo está cada vez mais preguiçoso. É isso que eu digo.

11:40 da manhã  
Blogger T-Rex diz...

Não me parece que o jornalismo esteja preguiçoso, meu caro.

Parece é que cresce tal qual os miúdos abandonados e à semelhança dos mesmos só os bons são bem aceites e conseguem uma integração plena na sociedade.

Muitos (a maioria) prefere enveredar pelos "5 minutos de fama" ou ser Rei (nú) durante 1 dia, ao invés de passar uma vida inteira como príncipe.

Opções (discutíveis), mas opções...

12:48 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

O tema que abordaste hoje é interessante, mas se fosse levado à letra os jornais desportivos tinham de acabar. Porque todos os dias estão pilhados de pseudo-notícias. Capas que são totalmente mentira, contratações fantasiosas, análises a jogos que só eles viram, análises a jogadores que também só eles viram jogar daquela forma, notícias para venderem jogadores, provavelmente para receberem alguma comissão, notícias encomendadas por a ou b.

Fontes credíveis? Quem os jogadores? aqueles dizem a qualquer momento sempre fui daquele clube desde que nasci e depois assinam por outro. Ou técnicos que chegam a Portugal afirmam que não assinaram por ninguém e no dia seguinte são apresentados por um clube! Nem sequer vou falar da classe dirigente, que deveria toda ser censurada e não ter tempo de antena...

7:30 da tarde  
Blogger Guedes diz...

Não faz qualquer sentido usar o "alegadamente" por a fonte ser outro jornal. Basta "disse ao órgão de comunicação x". Só faltava agora termos de suspeitar de toda a comunicação social porque alguns publicam mentiras.

Se quiseres complicar, podemos alegar que o Pauleta falou e agora diz que não disse nada. Já ouviste a justificação do The Sun? Não seria o primeiro a dizer que não disse o que disse.

9:52 da tarde  
Blogger Gilberto Mandamil diz...

O jornal The Sun usa o "alegadamente" para dizer que a Rainha de Inglaterra teve relações extraterrestre com ET´s, pelo que acho que não devemos dar importância a esse tablóide que é um 24 horas ainda mais rasca...

Malta da Tropa que curte Bola

9:01 da manhã  
Blogger portuguesinha diz...

A especialidade desse jornal são as coscuvilhices e para eles o que interessa é vender, por isso eles inventam o que for preciso! São tablóides... e ainda por cima bifes, portanto não é de admirar que andem por aí a falar de coisas que nunca aconteceram!

6:03 da tarde  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!