segunda-feira, julho 10, 2006

Obrigado...

Ausente há algum tempo venho aqui deixar o meu agradecimento.
Num mês particularmente complicado tenho de agradecer a quem de direito: os responsáveis pelas poucas alegrias que tive, por breves momentos, nos últimos 30 dias. O meu agradecimento vai para Scolari e seus rapazes.

Pouco me interessa se não ganhámos. Pouco me interessam os intelecto masturbadores que agora se dedicam a cair no rídículo dizendo "mas mesmo assim deviamos ter feito melhor e a culpa é de Scolari/Pauleta/Fado/x/y...". A mim só me interessa uma coisa: o imenso orgulho em ser português nestes momentos e a noção de que sem ovos é complicado fazer omoletes e que muito já fizeram estes, que me deram repito breves mas intensas alegrias.

Pena que os críticos, consumidos pelo gozo de conseguir encaixar as críticas ao brasileiro de modo a sairem bem da fotografia, não dêem por melhor empregue o seu tempo reflectindo nas verdadeiras limitações que emolduram o que conseguimos como algo verdadeiramente espectacular. De modo que não tenham de interromper a sua masturbação eu deixo aqui as verdades que não lhes interessam mas que todo o português consciente e bem agradecido deve ter em conta:

- Portugal tem 10 milhões de habitantes. Não há volta a dar a isto. Temos uma base de recrutamento limitada. Na Europa apenas a Holanda se compara a Portugal, no que concerne ao aproveitamento vs base de recrutamento. No entanto penso que qualquer conhecedor tem noção das diferenças ainda demasiado vincadas entre a formação holandesa e a portuguesa. Mesmo assim compare-se a performance de Portugal, mesmo antes de Scolari, com a da Holanda desde 2001 e a conclusão é óbvia: lideramos.

- Portugal tem uma formação desequilibrada. Não sei porquê, não percebo como, mas em Portugal só de formam médios: trincos, meios trincos, médios centros, médios avançados, médios alas e médios parvos. Depois existem ainda os extremos e aqueles que se auto intitulam "segundos pontas-de-lança". Não se formam avançados. Assumindo já que o puto futebolista é parvo por natureza, mesmo assim a culpa principal tem de ser das academias e centros de formação dos principais clubes nacionais. Ainda recementemente, no Europeu sub21 pude verificar a existência de 2,3 excelentes avançados franceses que, caso fossem formados em Portugal, seriam automaticamente transformados em médios ou extremos. Incompreensível.

- Portugal é um país mesquinho. O que Scolari e seus jogadores fizeram, fizeram-no contra um bloqueio minoritário mas mesmo assim inaceitável. Existe quem neste país teime em não dar crédito a quem o merece, enquanto que noutros países (inglaterra, espanha e até já brasil) anseiam pelo que temos. É o cúmulo do ridículo.

- Em Portugal alguns erram, outros não. É a conclusão que se me oferece tirar ao ler quem ainda tem coragem de apontar os erros (evidentes) de Scolari mesmo após tudo o que conseguiu. É que parece que apenas a Scolari não é permitido cometer erros. Todos podem cometer erros menos ele, mesmo atingindo níveis para os quais não tem bases. Concluo que existe uma pequena franja de portugueses infalíveis (e não se trata de Cavaco Silva pois este aplaudiu a selecção). Não compreendo como estamos como estamos com tantos infalíveis. Scolari comete erros como qualquer pessoa, mas os seus verdugos recusam reconhecer-lhe o mérito do que atinge. O que atinge passa a ser automaticamente o "mínimo aceitável face ao que tinha nas mãos".

Enfim... quem tiver paciência que os coma pois eu já não a tenho. Repito: identificando as limitações e erros de Scolari agradeço-lhe de forma sentida as alegrias imprevistas que me ofereceu tanto no Euro 2004 como agora no mais significativo Mundial 2006. E a quem tiver dúvidas sugiro o seguinte exercício: comparem o número de vitórias de Portugal, em qualificações e torneios, desde o início do Euro 2004 até ao final deste Mundial 2006 com os gigantes mundiais, nomeadamente os 7 que já foram campeões do mundo, e digam-me quantos ficam à nossa frente em termos de produtividade nos últimos 2,3 anos. Pois é.

Obrigado rapaziada.

10 Comentários:

Anonymous Anónimo diz...

Primeiro quero dizer que eu sou um critico de Scolari e ainda assim dou os parabéns pelo que a selecção conquistou nestes anos.

Depois quero dizer que o facto de termos 10 milhões de habitantes não tem nada a ver com o facto de não conseguirmos conquistar nada. Na minha opinião tem a ver com a mentalidade que tu (e todos aqueles que fizeram uma festa ridicula no aeroporto) tens. Uma coisa é fazer a festa depois do jogo com a Inglaterra, no estádio e à volta dele, por estar envolvido numa enorme festa multi-cultural e desportiva. Outra é fazer uma recepção digna de alguém que descobriu a cura do cancro ou que resolveu os problemas financeiros portugueses (e se alguém fizer esse milagre não será assim recebido).

Dizer também que a masturbação intelectual de que tu falas não é mais do que constatar factos obvios (Quaresma, Moutinho e João Tomás fizeram falta, Nuno Gomes estava melhor que Pauleta, Hugo Viana e Boa Morte foram passear para a Alemanha...) que por acaso deu resultado no Euro 2004, praticamente obrigando a colocar a estrutura equipa campeã europeia do F.C.Porto para conseguir fazer algo de jeito.

Por último quero dar o meu apoio para a continuidade de Scolari, não como seleccionador porque ele de táctica não percebe nada, mas como director de comunicação e psicologo.

10:24 da tarde  
Anonymous gonçalo diz...

Este texto levanta uma questão curiosa: já tentaram colocar-se na cabeça do que, vivendo ou não as vitórias da selecção, estão à espera e desejam, ainda que inconscientemente, ter motivos para criticar o Scolari. Fica a pergunta óbvia: o que é que ganham com isso? Reconhecimento? Mas, qual?, já que estamos a falar dos que antes do mundial previram quase uma catástrofe da nossa equipa no mundial.

Como é que podemos reconhecer esta gente que cinicamente diz valorizar o que fizemos apenas para depois poder cair em cima do Scolari? Como se o elogio sem convicção fosse uma condição necessária para a grande emoção que se segue: provar, por A+B, que Scolari, no mínimo, tem traços de incompetência. Que grande satisfação lhes deve dar sentir isto. Que pobreza.

Até por ser jornalista, desejo e espero que o Riddle não venha a estar metido "nisto", mas desconfio bem que, assim que estiver recomposto da viagem, e depois de falar a sério com o Bernardino Barros, aí vem ele no formato antigo, a todo o gás, lembrando que tudo começou em Évora com os 37 graus à sombra, a partir daí foi uma série de equívocos que terminaram no quarto lugar...A conclusão só pode ser uma: despachar o Scolari e dar lugar à renovação, quem sabe com Manuel José. Eu costumo dizer que se tudo isto não fosse triste seria seguramente ridículo, desta vez digo ao contrário se isto não fosse ridículo...

12:14 da manhã  
Anonymous Anónimo diz...

A isso se chama "Velho do Restelo" e já o Camões os topava.

Scolari vai ficar, para felicidade de quem vive neste mundo e tendo ou não noção de que o sargentão também comete erros sabe perceber que quem caça mamutes com postigas, pauletas e nunos gomes merece crédito.

2:35 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

A isso se chama "Velho do Restelo" e já o Camões os topava.

Scolari vai ficar, para felicidade de quem vive neste mundo e tendo ou não noção de que o sargentão também comete erros sabe perceber que quem caça mamutes com postigas, pauletas e nunos gomes merece crédito.

2:35 da tarde  
Anonymous Bruno diz...

Oliveirinha, volta! És o maior!
Portugal (os empresários e os Pintos da Costa) esperam e anseiam por ti!

Só um treinador deste calibre nos podes levar à vitória no campeonato do Mundo!

Corram com o Scolari, esse chulo que não vale nada!

6:21 da tarde  
Anonymous Lionheart diz...

Eu também agradeço aos jogadores e ao Scolari. As críticas aos mesmos compreendem-se pois, felizmente, estamos num país democrático. Mas eu também sou livre de chamar patos-bravos aos anti-Scolari, porque é ridículo que o melhor seleccionador de Portugal de todos os tempos, seja também o mais criticado, e até odiado. Há muitos adeptos do futebol que são intragáveis, e vozes de burro não chegam ao céu. Entre "orcs" e "tripas" venha o diabo e escolha, e curiosamente são estes os principais críticos do Scolari.

Faço minhas as palavras do jornalista Ferreira Fernandes, do "Correio da Manhã" e da revista "Sábado", que ficou chocadíssimo por estarem pouco mais de mil portugueses em Estugarda. Foi uma falta de respeito pela selecção e principalmente por Luís Figo. E para quem achar que os portugueses que saudaram o regresso da Selecção no Domingo são pirosos, ponham os olhos na festa monumental que os alemães fizeram à sua equipa. Um país tricampeão do Mundo festejou um "mero" terceiro lugar a jogar em casa, com um milhão de pessoas nas ruas de Berlim no Domingo. Até a equipa da França, apesar de derrotada na final, foi recebida pelo Presidente Chirac no Palácio do Eliseu, e saudada pelo povo em "Les Invalides". Isto não é piroseira, nem terceiro-mundismo, é civismo e respeito pelos atletas.

Para terminar, há um episódio que só por si mostra por que é que Scolari deve continuar como Seleccionador. Este "incidente" não foi, que eu saiba (pelo menos nos jornais que li não foi) contado nos media nacionais. Mas eu vi o que se passou porque a "Sky News" deu as imagens. Na conferência de imprensa que antecedeu o jogo com a França, o Scolari foi vaiado pelos jornalistas ingleses presentes na sala, porque se recusou a responder-lhes em inglês. Scolari percebe alguma coisa de inglês, mas tem dificuldade em falar, por isso responde sempre em português. Mas os sacanas dos camones exigiram que ele respondesse em inglês por ele entender a maior parte das perguntas sem necessitar do intérprete. Scolari recusou falar outra língua que não o português e foi vaiado pelos bifes ao sair da sala. Acho um escândalo que o seleccionador de Portugal tenha sido insultado na casa da nossa Selecção na Alemanha, por uns anormais que não passam de uns apoiantes frustrados de uma selecção que é uma merda. Por isso, e por tudo o que se passou a seguir ao jogo com os ingleses, quer com Scolari quer com o Cristiano Ronaldo, a partir de agora, para além de torcer sempre por Portugal, torço também a favor de quem jogar contra a Inglaterra (e contra a França).

O Scolari pode ter muitos defeitos, mas defende mais a nossa língua e a nossa Selecção que muito panhonha "poliglota" e de "fair play" que anda para aí. Os mesmos bananas masoquistas que dizem que o "penalty" a favor da França foi indiscutível e que os só os portugueses é que fazem fita. E viva Portugal!

8:24 da tarde  
Anonymous O Tuga diz...

O que me custa a perceber é porque é que, quando um gajo qualquer erra, se pode criticar à vontade, mas se for o Scolari a errar, aí já temos de estar todos caladinhos caso contrário corremos o risco de sermos maus portugueses, estarmos com a garrafa de champagne à espera da derrota para sair do buraco, etc etc. Porque raio está o Scolari imune à critica?!?

4:54 da tarde  
Blogger Miego Daradona diz...

Caro Tuga,

O meu texto não pretente imunizar Scolari. Pretende sim relativizar.

Scolari erra, se erra é sujeito a critica, como qualquer mortal. Deve inclusive aprender com esses erros, sendo que esse me parece o seu calcanhar de Aquiles.

O que não é aceitável é a tendência para maximizar a importância do erro e desvalorizar os feitos. Ou seja, no momento em que Scolari falha a estratégia ou opções num Portugal - Grécia ou num Portugal - França tudo o que conseguiu até aí torna-se menor, quase obrigatório e consequente do valor intrínseco de Portugal e não de qualquer mérito seu.

Isso é estúpido, mal agradecido e redutor. Scolari falha, mas merece já de si muito agradecimento. A solução não está em despachá-lo para lá meter outro papalvo como sempre tivemos mas sim convidá-lo a perceber as suas falhas e valorizar o que de (muito) bom já nos deu.

2:18 da tarde  
Anonymous gonçalo diz...

Caros tertuliantes,

É óbvio que o Scolari está sujeito à crítica. Isso nunca esteve em causa. Mais, já nos deu motivos para o criticar, especialmente nos jogos com a Grécia e com a França, em ambos pelo mesma razão: não tem um plano B que preveja o uso de 2 avançados. Um sistema táctico deste tipo poderia ter sido muito útil nestes jogos, porque jogámos contra equipas muitos defensivas. Eu aceito que ele insista no 4-2-3-1 porque é o modelo em que os nossos criativos são mais aproveitados, agora é importante haver alguma flexibilidade durante o jogo, coisa que eu penso que lhe falta.

O que eu condeno nas críticas ao Scolari, para além do que o Miego já referiu, é o facto de resultarem das declarações e da estratégia do Pinto da Costa. Dou o meu exemplo: se acaso o presidente do meu clube, o Soares Franco, amanhã declarar guerra ao Scolari, posso garantir que não mudarei a minha opinião sobre o Scolari enquanto treinador, nem vou passar a "pedir a sua cabeça" todos os dias. E olhem que se tivéssemos um presidente à FCP, pretextos não nos faltam, Tonel, Moutinho, etc...Tenho ideia de que os benfiquistas em geral também pensam desta maneira. O problema é que no FCP as coisas são bem diferentes. Ainda não conheci um portista que goste do Scolari. Desconfio que não chegarei a conhecer. Julgam que é coincidência...? Faz-me muita impressão não haver liberdade de pensamento entre os portistas, há medo em pensar a realidade de forma diversa do Pinto da Costa. Vejo uma explicação: a estima e a idealização que fazem do PC é tão grande que não admitem sequer que o homem possa estar errado ou que siga uma estratégia, dizendo o que não pensa, para defender o FCP. Não existe este espírito crítico. Problema deles...

Sem ofensa, mas isto é o que normalmente se passa no Irão...

11:43 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

O facto de não haver portistas que não gostem de Scolari ( que por acaso até não é verdade, conheço um o LFV) não se deve ao facto de não convocar A ou B, deve-se isso sim aos insultos, às provocações que o Scolari fez desde cá chegou, certamente ao som dos ouvidos da rectaguarda sulista.

Ainda se lembram:

Mal tinha chegado, mal tinha colocado o cu no país e já estava a denegrir O OJogo como o jornal desse clube...mas já não sabiaque por acaso Abola e o Record são de uma imparcialidade assustadora!!!

Aquela frase, você é do Porto? Não, Graça a Deus!!!

Aquela provocação, de não convocar o MELHOR GUARDA-REDES DA EUROPA 2004, Vitor Baía, mas ir buscar o 3º guarda-redes do FCPORTO, etctec, e são tantas e tantas situações.

E uma coisa é certa, jamais algum seleccionador teve esta bajulação da imprensa.

E estas manifestações de apoio a Scolari, não é patriotismo , são os ANTI-FCPORTO que rejubilam pois cada vitória de scolari, faça ele o que fizer, chame ele os Bosta aos críticos, chame racistas aos portugueses, xenófobos a corja Anti-FCP apoiará sempre.

Só neste país de analfabetos, a acomeçar pelo jornaleiros!!

10:25 da tarde  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!