quarta-feira, agosto 30, 2006

Mateus

Este caos mateus já assumiu proporções vergonhosas e parece que não vai ter solução tão cedo, como diz Valentim Loureiro. Pois bem, a minha solução é fácil e rápida.
- Gil penalizado com descida de divisão por utilização incorreta do jogador Mateus;
- Gil penalizado com um ano de suspensão por recurso aos tribunais civis (recomeçando a época 2007/08 na IIB);
- Belenenses começa a presente época na Liga de Honra porque desportivamente não garantiu a permanência;
- Leixões começa a presente época na Liga de Honra porque desportivamente não garantiu a subida a Liga Bwin;
-Liga Bwin com menos um clube na presente época - o que só pode ser considerado boa notícia.

- Demissão imediata de Cunha Leal e seus incompetentes parceiros.
- Demissão imediata de Gilberto Madaíl e antecipação das eleições na FPF.

11 Comentários:

Anonymous Anónimo diz...

E então o maior? O Sr. major que devia estar em casa a pastar caracóis?

6:00 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

Excelente solução - houvesse tomates para a implementar...

6:13 da tarde  
Blogger riddle diz...

não referi o nome do major porque não fora a providência cautelar do idiota do presidente do nacional, já hermínio loureiro estaria sentado no cadeirão da liga. mas é óbvio que também deveria sair. e nem concordo com a presença dele como presidente da assembleia geral da liga. há gente que nao consegue mesmo largar o poder.

9:57 da manhã  
Blogger RG54 diz...

Excelente. Só queria juntar uma coisita: o impedimento de todos estes incompetentes actuais dirigentes da Liga e da FPF voltarem a fazer parte de qualquer estrutura desportiva dirigente . Que nojo!!!

10:33 da manhã  
Blogger Alex diz...

Eu creio que algo de muito grave para o futebol português está por detrás da teimosia do Gil Vicente. Quer por causa do advogado desse clube ser Cruz Vilaça, um especialista em Direito Comunitário, mas também (e por isso é que eu acho que as coisas estão relacionadas) porque as instâncias comunitárias há anos que ambicionam acabar com a excepção do futebol no âmbito jurídico, nomeadamente, a proibição de em matérias desportivas os clubes recorrerem para os tribunais civis. Já houve um precedente com o caso Bosman, e que só trouxe consequências negativas para o futebol. Agora, os federalistas querem estender ainda mais os "tentáculos" do Direito Comunitário, fazendo jurisprudência com o caso Gil Vicente. Não por acaso, essa figura sinistra chamada Valentim Loureiro já fala noutro caso Bosman. Ele lá saberá porquê. Há sempre "paus" para toda a obra...

Escusado será dizer que o futebol em nada ganha com a generalização do recurso aos tribunais civis pelos clubes, pelo contrário. Não faltaria os grandes clubes, quando se sentissem prejudicados por decisões das respectivas Federações, recorreream sempre aos tribunais comuns, paralisando assim os campeonatos. Veja-se a Juventus que foi (e bem) despromovida, mas que não acata a decisão, ameçando levar o caso aos tribunais civis. Agora imagine-se o que seria se o recurso a estes fosse sempre permitido. Era o caos generalizado.

Penso que o futebol português, por intermédio do Gil Vicente (que quanto a mim devia ser expulso de todos os campeonatos), está a ser a cobaia de uma luta pelo poder entre Bruxelas e a FIFA. Indepentemente de quem vença este braço de ferro, o que é certo é que entretanto, o futebol português será a única vítima, porque a FIFA não deixará de exercer o seu poder sobre a nossa selecção e os nossos clubes. Por isso é que eu digo que nós somos a cobaia enquanto outros (Que quanto a mim representam um mescla de interesses, que vai desde Bruxelas aos maiores clubes da Europa. Ambos têm um interesse em comum, que é "domesticar" a UEFA e a FIFA. Já antes o desfecho do caso Bosman serviu tanto os interesses das instâncias comunitárias como dos G14.) se escondem a ver no que isto vai dar...

Dada a gravidade de o futebol português estar a ser instrumentalizado por outros, e poder vir a arcar sozinho com graves consequências, eu acho uma vergonha que o governo deste país não esteja a actuar para que um dos principais sectores económicos de Portugal não sirva de cobaia, e possa até ser convenientemente (para outros...) posto fora-de-jogo de competições internacionais de clubes e selecções. Também é o interesse nacional que está em causa. A nossa selecção e os nossos clubes não podem ser as vítimas da guerra fria de Bruxelas e dos G14 contra as instâncias do futebol internacional, tenham estas razão ou não.

2:52 da tarde  
Blogger T-Rex diz...

Na mouche!

Vedeta ou Marreta?

6:58 da tarde  
Anonymous Anónimo diz...

Caso Mateus minuto a minuto

http://leixoessc.com

4:21 da tarde  
Blogger Zé Pata Curta diz...

É confrangedor ver até que ponto se dá de flanco para manter as regalias e o protagonismo do poder que prejudica o futebol há trinta anos...
Agora dão o dito por não dito, rastejam, choram baba e ranho e...a malta dos jornais agradece e... ajuda!
Vão catar piolhos e deixem o futebol e os cargos que os projectaram (demais) para quem merece...

5:02 da tarde  
Blogger Mialgia de Esforço diz...

Alex:
Ninguém defende o recurso aos tribunais civis em questões específicas dos regulamentos desportivos e/ou disciplinares. O que se defende (eu, pelo menos) é que não haja uma justiça paralela dos senhores da bola, interferindo em questões previstas na legislação dos estados, como é o caso da legislação laboral. Ou seja, é necessário definir de forma muito clara que é que se inclui nos tais assuntos de natureza desportiva ou disciplinar.

11:07 da tarde  
Blogger Alex diz...

"...é que não haja uma justiça paralela dos senhores da bola..."

OK. Se o Gil Vicente tivesse a razão do seu lado, ainda vai. Mas a ironia cruel é que o Gil Vicente não tem razão nenhuma, nem nunca algum tribunal civil decidirá em seu favor nesta matéria. Entretanto todo o futebol português pagará por esta teimosia idiota. A questão do poder da FIFA e da justiça paralela do futebol deverá ser dirimida na altura própria, e não a propósito deste caso, que não justifica a "afronta" à FIFA e muito menos o prejuízo das selecções nacionais e dos clubes portugueses envolvidos nas competições europeias.

O Gil Vicente pôs-se a jeito quando utilizou o Mateus sem ainda ter a sentença definitiva do tribunal a que tinha recorrido na altura, e que acabou por dar razão à Liga, indeferindo a inscrição do jogador. Ou seja, se o Gil Vicente tivesse sido prudente e não tivesse utilizado o jogador sem o caso estar definitivamente esclarecido, o clube de Barcelos nunca estaria sujeito à descida de divisão. Agora, o Gil pode recorrer a mil tribunais que perderá sempre, porque a verdade é que o Gil Vicente nunca podia ter utilizado um jogador cuja inscrição nunca foi autorizada. O resto são estórias que não interessam para o caso concreto.

3:36 da tarde  
Blogger Nuno Carvalho diz...

enquento eles continuam todos amiguinhos a jantar fora, a combinar árbitros para os jogos, resultados e a interditar campos não resolvem o que devem resolver. Isto é pura incopetencia.

11:06 da manhã  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!