quarta-feira, setembro 13, 2006

Grande, muito grande...

...Primeiro o Sporting. Depois Paulo Bento. O primeiro por causa do segundo. Paulo Bento foi grande, muito grande na noite de ontem contra o Inter. Tal como que ouve a RR sabe, há muito que um comentador de lá (e já agora escriba daqui) vaticinou uma carreira de sucesso ao jovem treinador que deu os primeiros pontapés na bola no Bairro Alto. Bem sei que a foto que escolhi é o Caneira, mas o defesa foi a imagem perfeita da atitude dos leões. Ele que nem ataca muito, encheu o peito de coragem, arriscou sem ter medo dos nomes que tinha pela frente, foi lá a cima e mandou uma daquelas que o Toldo ainda hoje está para saber de onde é que veio... Voltando a P.Bento: já aqui tinha dito que me agradam as atitudes do técnico desde que ele assumiu o Sporting (o que então até me pareceu um presente envenenado). Desde ter não olhar a nomes (Liedson que o diga) na altura de escolher "os seus" aos discursos coerentes e virados exclusivamente para o seu balneário, evitando as parangonas polémicas dos desportivos, P.Bento parece-me casa vez mais o técnico nacional com maior margem de progressão (e eventualmente fadado para o sucesso). Frente aos craques do Inter, P.Bento não teve problemas em apostar em miúdos para conseguir a vitória. Não com um ou dois. Vários. Sem experiência de Champions mas com vontade de mostrar serviço. E isso no futebol também conta muito. P.Bento é hoje um homem feliz: não porque ganhou ao Inter (que não é nada daquilo que o Mourinho diz ser) mas porque tem, se já não tinha, a perfeita consciencia de que o seu plantel lhe dá garantias. Percebem-se hoje as suas declarações de há umas semanas atrás quando disse que estava feliz com o Sporting pois tinha todos os jogadores que queria.

Uma nota mais para Benfica e FC Porto, que hoje entram em prova. O primeiro, mesmo com os problemas que possa ter, tem obrigação de pontuar (quase que me apetece vencer, pois estes dinamarqueses que se estreiam na Champions - mesmo que tenham eliminado o Ajax - estão longe de ter a mesma força de um Manchester ou Liverpool) e o segundo não pode permitir outro resultado que não os três pontos: porque joga em casa e porque tem de definitivamente afirmar-se na Europa como um grande. Vamos ver se logo todos temos razões para sorrir com a performance das equipas nacionais e dar uma outra imagem do nosso futebol (que não só os casos Mateus/Ap. Dourado) para o estrangeiro.

1 Comentários:

Anonymous Anónimo diz...

com que entao o Fc Porto è que se tem de afirmar como um grande da europa?!!!!!!!!!2 liga dos campeoes 1 taça uefa 1 supertaça europeia 2 intercontinentais e o Fc Porto e que se tem que afirmar!!!!!!!!!!!!!!!!!!que direi eu dos outros

8:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Página Principal

Avalie-me!